como a vida seria muito mais miserável sem os filmes da minha vida: Esplendor na Relva de Elia Kazan

Esplendor na Relva é por ventura o filme mais bonito de Elia Kazan, só por ele merecia figurar com relevo na história do cinema Este filme de Elia Kazan é uma ode ao amor adolescente que perde as ilusões à entrada da idade adulta. Mas de todos os quadros que compõem a estória, é precisamente…

como a vida seria muito mais miserável sem os filmes da minha vida: Duas ou Três Coisas que Eu Sei Dela de Jean-Luc Godard (1967)

A primeira vez que vi Duas ou Três Coisas que Eu Sei Dela, já tinha visto uma parte substancial da obra de Jean-Luc Godard até à década de ’80. Ou seja, já me foi um filme tardio no conjunto de filmes de JLG. E a verdade é que nem sequer foi um filme que me…

como a vida seria muito mais miserável sem os filmes da minha vida: O Rio Sagrado de Jean Renoir (1951)

Tudo isto vem de outro tempo. De outros tempos. Cinematográficos. Representativos. Literários. Políticos. Coloniais. De tempos com tempo. De tempos de memória. De memórias. Memórias da história e de estórias. Memórias afectivas. Isto é uma história de e com sabor. É uma história de sabor porque vem de longe, de outros tempos e lugares, de…